Google Plus Youtube Twitter Facebook Skype 

Você está aqui

Lima

Praça principal de Lima no Peru

Ao Norte está a cidade de Caral, a civilização mais antiga da América e ao sul o Complexo Arqueológico de Pachacamac. A história de Lima é anterior à presença colonial. A instauração do vice-reino transformou a cidade no principal centro político e administrativo da América do Sul. Durante esse período foram construídos importantes templos, conventos, casarões e sacadas. A chegada da modernidade não transformou o Centro Histórico, reconhecido como Patrimônio da Humanidade.

Confira também nossos pacotes para Lima, para conhecer um pouco mais sobre a Capital gastronômica da América Latina.

História de Lima.

Embora a história da cidade de Lima começasse com sua fundação espanhola em 1535, o território formado pelos vales dos rios Rimac, Chillon e Lurin estava ocupado por assentamentos pré-Inca, que foram agrupados sob o senhorio de Ichma. A cultura Maranga e a cultura Limense foram estabelecidas e forjou uma identidade nesses territórios. Durante essa época foram construídos os santuários de Lati e Pachacámac, o principal santuário de peregrinação durante o tempo dos Incas.

Estas culturas foram conquistadas pelo Império Wari, durante o auge da sua expansão imperial. É durante este tempo que foi construído o centro cerimonial de Cajamarquilla. Dado o declínio de Wari, as culturas locais voltaram a adquirir autonomia, destacando a cultura Chancay. Mais tarde, no século XV, estes territórios foram incorporados ao império Inca. A partir deste momento encontramos muitas “huacas” ao longo de toda a cidade, algumas das quais estão ainda sendo pesquisadas.

Em 1532, os espanhóis e seus aliados indígenas (das etnias escravizadas pelos Incas) sob o comando de Francisco Pizarro fez prisioneiro ao Inca Atahualpa, na cidade de Cajamarca. Apesar de ter acontecido o pagamento do resgate, ele foi condenado à morte por razões políticas e estratégicas. Depois de várias batalhas, os espanhóis conquistaram seu império. Francisco Pizarro foi nomeado pela coroa espanhola governador das terras que haviam conquistado.

Pizarro decidiu fundar a capital no vale do rio Rimac, após a tentativa fracassada de estabelecê-la em Jauja. Ele considerou que Lima estava estrategicamente localizada ao lado de uma costa favorável para a construção de um porto, mas prudencialmente afastado a fim de evitar ataques piratas e impedir potências estrangeiras. Assim em18 de janeiro de 1535 Lima foi fundada sob o nome de Cidade dos Reis em territórios que tinham sido do Curaca Taulichusco. Francisco Pizarro, com a colaboração de Nicolas de Ribera, Diego de Agüero e Francisco Quintero pessoalmente traçou a Plaza de Armas o resto da cidade, a construção do Palácio Viceregal (agora transformado no Palácio de Governo do Peru, portanto, mantém o nome tradicional de Casa de Pizarro) e da Catedral, Pizarro colocou a primeira pedra com suas próprias mãos.

Em 1821 foi proclamada a independência do Peru em pelo General San Martin, Lima se tornou a capital da marca República do Peru. Então, foi à sede do governo de San Martín e também sede do primeiro Congresso Constituinte do país. Os primeiros anos da história republicana peruana foram caracterizadas pela confrontação constante entre os senhores da guerra, que visam a governar o país e que tentaram tomar a sede do governo. Assim, Lima sofreu vários cercos e confrontos armados. Do ponto de vista do planejamento, o constante crescimento experimentado pela cidade deu origem a um fenômeno de modernização. Em 1862 começou o processo de mudança na nomenclatura urbana da cidade e em 1868 recebeu por ordem do presidente Jose Balta, a demolição das paredes que a cercavam levando para as primeiras grandes avenidas.

 

Localização de Lima.

Lima está localizada no deserto da costa do Peru, próximo da encosta ocidental do Andes Centrais do Peru. Apesar de ter sido inicialmente fundada no vale do rio Rimac, hoje se estende em grandes áreas do deserto englobando até mesmo outros vales. Enquanto a praça principal está localizada a uma altitude de 161 metros, o Lurigancho atinge 950 metros. Até a construção da Rodovia Pan-Americana, no segundo terço do século XX, o transporte de passageiros ao longo da costa foi feito por mar. Atualmente, este método já não está em uso. Lima possui uma extensão de pouco mais de 130 km de costa e praia, possuindo um Aeroporto Internacional.

Via Terrestre

A capital está conectada com todas as cidades do litoral, através da moderna rodovia Pan-Americana, que corre paralelo ao mar. A secção norte de Lima atinge Tumbes (fronteira com o Equador), 1.370 km de Lima, e do trecho sul corre 1.291 km de Tacna (fronteira com Chile).

A conexão com as cidades das montanhas é através da rodovia Central e algumas estradas afirmados penetração em Yauyos, Huancayo, Huacho, Oyon, Huanuco, canta, La Oroya, Pucallpa, entre outros. As estradas nacionais que nascem a partir de Lima e comunicam em todo o Peru são três:

Rodovia Panamericana Norte, liga os distritos do norte da cidade (bairros de San Martin de Porres, Independência, Los Olivos, Comas, Puente Piedra e Ancon) com os departamentos do norte (norte de Lima, Ancash, La Libertad, Lambayeque, Piura e Tumbes). Nesta estrada nascem várias formas de ligação para os outros departamentos do norte.

Estrada central liga os distritos do leste da cidade (distritos de Ate, Santa Anita, Chaclacayo e Lurigancho) com os departamentos do centro do país (departamentos de Junín, Pasco, Huanuco, Ucayali). A principal rodovia tem vários ramos de penetração em cada um desses departamentos.

Rodovia Panamericana Sul liga os distritos do sul da cidade (distritos de Surco, San Juan de Miraflores, Villa El Salvador, Lurín, Punta Hermosa e Pucusana, entre outros) com os departamentos do sul (sul de Lima, Ica, Arequipa, Moquegua e Tacna). Nesta estrada nascem várias formas de ligação para os outros departamentos do Sul.

A cidade também tem uma grande rodoviária chamada Plaza Norte inaugurada em 2010, que permite que os ônibus possam atender rotas domésticas e internacionais. Há também terminais privados de algumas empresas de transportes e tem outras estações informais como Fiori, no bairro de San Martin de Porres para rotas para o norte, Ervanárias, no distrito de Ate para rotas centrais e Atocongo no distrito San Juan de Miraflores para as rotas do sul.

Via Aérea

Lima é a porta de entrada para o Peru. E tem as conexões aéreas no Aeroporto Internacional Jorge Chavez com todas as grandes cidades do mundo. Voos para as principais cidades do mundo são regulares. E o país tem várias companhias aéreas que ligam com as cidades dentro do país.

Algumas distâncias:
- Lima para Arequipa: 1.009 km
- Lima para Trujillo: 557 km
- Lima para Cusco: 1.154 km
- Lima para Tacna: 1.293 km

Via Marítima

O porto de Callao é o maior do país e um dos mais movimentados do sul do Pacífico. Os grandes navios chegam aí, além de barcos de cruzeiro. Até a construção da Rodovia Pan-Americana, no segundo terço do século XX, o transporte de passageiros ao longo da costa foi feito por mar.

 

Clima de Lima.

O clima de Lima é especialmente particular, existe uma combinação: ausência quase total de chuvas, com um alto nível de umidade e cobertura de nuvens. Por isso, é estranho estas características por estar localizado em uma área tropical de 12 graus de latitude sul e quase ao nível do mar. A costa central peruana, mostra uma série de microclimas atípicos devido a influente e fria corrente de Humboldt, que é derivada da Antártida. A proximidade dos Andes e sua localização geográfica, dá a Lima um clima subtropical, fresco, desértico e úmido ao mesmo tempo.

Pode-se dizer que Lima tem um clima tropical quente sem calor extremo ou frio excessivo onde pode até exigir ter um sistema de aquecimento em casa, com exceção de alguns invernos. A temperatura média anual é de 18,5 e 19 ° C, com um máximo de verão anual de cerca de 29 ° C. O verão de dezembro a abril varia com temperaturas de 29 a 30 ° C durante o dia e 21 a 22 ° C durante a noite. Quando há o fenômeno El Ninho, a temperatura no verão pode ser superior a 31 ° C. Os invernos são de junho a meados de setembro, com temperaturas variando entre 19 e 12 ° C, 8,8 ° C sendo a temperatura mais baixa historicamente comprovado. A Primavera e no Outono (Setembro, Outubro e Maio) têm temperaturas temperadas que variam entre 23 e 17 ° C.

Além disso, a umidade relativa é extremamente alta (até 100%), produzindo neblina persistente nos meses de junho a dezembro até a entrada de verão, quando as nuvens são menores. Abaixo há os parâmetros climáticos mais prováveis durante o ano.

 

 

Gastronomia de Lima.

A rica gastronomia peruana é o resultado de uma fusão entre a tradicional culinária do antigo Peru, a culinária espanhola e alguns costumes culinários trazidos pelos escravos africanos. Com uma característica exclusiva da culinária do Peru, as artes culinárias estão em constante evolução e juntamente com a variedade de pratos tradicionais a torna única. O clima do Peru e também seus microclimas são propícios para um amplo cultivo de produtos agrícolas de diversas espécies.

Entre os pratos mais conhecidos temos:

- Ceviche de Pescado
- Chicharrón
- Lomo Saltado
- Tallarín Saltado
- Alpaca ao Molho Aguaymanto
- Cuy Colorado
- Pollo a La Brasa
- Sopas
- Ají de Gallina

Se você deseja enriquecer sua experiência com a gastronomia peruana, aconselhamos visitar os seguintes restaurantes:

- Puro Perú
- Mangos
- La Bistecca
- Costa Verde
- Blue Moon
- José Antonio
- La Locanda
- Nanka
- Social Restaurant & Bar
- Central Restaurante
- La Mar
- Museo Larco Cafe Restaurant
- Osaka
- Mama Olla Restaurant
- El Hornero
- Saqra
- Lima27

Para mais informações continue lendo nosso Blog.

Atrativos e Pontos Turísticos de Lima

Igreja São Francisco de Assis.

O complexo de San Francisco de Assis é um dos pontos turísticos obrigatórios para quem visita Lima. Independentemente da religião, conhecer o lugar é se deparar com um conjunto arquitetônico inigualável, que guarda obras de arte e uma fonte de história incrível. Comece seu passeio pela igreja, com pé direito altíssimo, e confira os detalhes de seu altar e das capelas, além da fachada em estilo barroco. Depois visite as catacumbas, antigamente usadas como cemitério - hoje em dia tem milhares de ossos em exposição. O passeio pelas catacumbas é um tanto mórbido; o ambiente é escuro e pequeno, mas é tão singular e diferente que vale a pena conhecer. É necessário pagar a entrada.

 

Pachacámac.

As ruínas de Pachacámac, a 40km do centro de Lima, são como uma grande cidade com diversas pirâmides, templos e praças construídas em adobe. As antigas construções sofreram com os terremotos e hoje em dia não estão na sua melhor forma, mas em algumas é possível visitar e ter uma ideia mais precisa da grandiosidade desse sítio arqueológico. Como o ponto turístico fica fora do centro da cidade, você pode contratar um táxi para levá-lo ou ir em um passeio turístico, que normalmente inclui não apenas o transporte, mas também um guia. Não deixe de subir na pirâmide maior e ter uma vista de toda a região antigamente ocupada pelos Incas.

 

Ponte dos Suspiros.

A Ponte dos Suspiros é um local famoso do bairro boêmio de Barranco, onde as pessoas se reúnem para curtir a noite. Nos arredores da ponte há vários bares e restaurantes, as pessoas gostam de caminhar pela região vendo o movimento enquanto escolhem um local para ficar.

 

Parque da Reserva.

O Parque da Reserva é um dos lugares mais surpreendentes de Lima. Não importa a idade ou a companhia, caminhar pelo lugar é como retornar à infância e sentir-se criança outra vez. O parque possui diversas fontes aquáticas, cada uma com uma iluminação especial, provocando um belo espetáculo aos olhos como resultado final.

Há fontes de diversas cores e de diferentes formas ao longo da noite, sempre com o poder de encantar os visitantes. A melhor hora para ir ao parque é durante a noite, quando a iluminação das fontes é mais bem visualizada e em um dos três shows noturnos. Nos shows as fontes dançam conforme o ritmo da música e os hologramas feitos na água animam o público. É necessário pagar a entrada.

 

Palácio do Governo.

O Palácio do Governo, também conhecido como Casa de Pizarro, fica em frente à Praça Maior e é a residência oficial do presidente peruano. O edifício foi inaugurado em 1938 e tem uma fachada colonial, perfeita para tirar algumas fotos. As visitas são restritas, feitas somente nos fins de semana.

 

Parque Kennedy.

O Parque Kennedy, também conhecido como Parque Central de Miraflores, é um local muito interessante para os turistas. Além de ser uma ótima região para hospedagem, nos arredores da praça há muitos restaurantes, lojas e bares para se divertir. O parque funciona como um ponto de referência, sempre está florido e possui até feirinhas temáticas. É um bom local para ir tanto durante o dia quanto à noite, quando as redondezas estão cheias de jovens querendo se divertir.

 

Plaza de Armas.

A Praça de Armas de Lima, ou Praça Maior, é um dos pontos mais tradicionais para conhecer na cidade. Nela Francisco Pizarro fundou Lima e lá aconteceu uma das primeiras touradas. A partir dela você pode visitar os pontos turísticos do centro, como a Catedral, o Palácio do Governo e a Igreja de São Francisco. Tirar algumas fotos nessa praça, curtir o visual para os edifícios históricos ao seu redor e observar o movimento são de praxe. Esse é um lugar importante para a cidade e não pode ficar fora do seu roteiro. Escolha um dia mais tranquilo, como sábado ou domingo, para ir ao centro e não gastar muito tempo no trânsito.

 

Praça San Martín.

A Praça San Martín, no centro de Lima, foi construída para celebrar cem anos da independência. É uma praça florida onde as pessoas gostam de sentar, descansar e observar o movimento do centro. Nos arredores da praça estão alguns edifícios famosos, como o Gran Hotel Bolivar, e no meio da praça está um monumento a José de San Martín.

 

Huaca Pucllana.

Huaca Pucllana é uma das atrações mais incríveis de Lima. Já pensou visitar um sítio arqueológico com pirâmide e tudo num dos bairros mais nobres da capital, em meio a edifícios residenciais? Em Lima isso é possível. O lugar vem sendo restaurado há mais de 30 anos e perdeu muito de seu espaço original, mas a parte que está conservada atualmente é suficiente para se ter ideia da grandiosidade e da inteligência que tinha o povo que lá vivia (os chamados Limas).

O lugar era um centro cerimonial e administrativo e foi todo construído com adobe, um tijolo feito à mão. O sítio possui uma grande pirâmide, que não tem muito a ver com as pirâmides egípcias - trata-se de uma pirâmide sólida, mas que possui muita imponência. Indicamos que você faça a visita guiada, pois só com ela será possível entender realmente como viviam os Limas e quais eram as suas histórias. É necessário para a entrada.

 

Larcomar.

Os shoppings muitas vezes podem ser parecidos: lojas, praças de alimentação, pessoas fazendo compras, sacolas cheias... no entanto, em Lima isso é diferente. O Larcomar é um shopping pouco comum e vale a pena conhecê-lo, não por causa de suas lojas, mas pelo visual. O shopping foi construído em cima de um dos enormes rochedos de Miraflores e tem uma vista lindíssima para o Oceano Pacífico. É o lugar ideal para fazer uma refeição apreciando um belo visual ou tomar um café olhando o mar.

 

Parque do Amor.

O Parque do Amor, no distrito de Miraflores, é um dos melhores lugares na cidade para passar o fim de tarde e observar o bonito visual de Lima para o mar. Em cima de um barranco enorme e cheio de flores coloridas, o parque é o cenário perfeito para tirar fotos e namorar. No lugar está a estátua "O Beijo”, obra de Victor Delfín, e um grande muro ondulado cheio de frases famosas de artistas do Peru.

 

Mercado Inca.

Voltar do Peru sem trazer na mala algumas lembranças é praticamente impossível. Para quem quer fazer compras e arrematar presentes, o Mercado Inca é o lugar certo. Lá você encontrará uma grande variedade de tecidos, bolsas, camisas, joias e outros objetos para presentear.

 

Rua das Pizzas.

A Rua das Pizzas, em frente ao Parque Kennedy, é uma rua que fica superanimada durante a noite. Como o nome diz, há diversas pizzarias no lugar, mas não fica apenas nisso, a rua tem várias boates e bares, sendo um local ótimo para passar a noite, conhecer pessoas diferentes e dançar um pouco.

 

Museu do Ouro.

O Museu do Ouro é um lugar que faz jus ao nome que tem e expõe diversas peças em ouro, dos mais diferentes tamanhos e utilidades. Há muitos objetos em ouro e, por haver tanto a observar, indicamos que a visita seja feita com um guia, a fim de selecionar as partes mais interessantes para ver do museu. São peças de todos os tamanhos: vasos, brincos, adornos, roupas, narigueiras, armas, entre outros. Não deixe de observar as múmias, os detalhes dos tecidos e a principal peça, uma faca cerimonial feita em ouro e turquesa. Em cima do Museu do Ouro está uma exposição de armas com mais de seis mil peças. A coleção foi feita por Miguel Mujica, que as reuniu desde criança. Você poderá observar todo tipo de armamento, desde armas pré-colombianas até as mais atuais. É necessário para a entrada.

 

Catedral de Lima.

A Catedral de Lima que se vê atualmente é a terceira igreja construída no mesmo terreno. Nela está o corpo de Francisco Pizarro, conquistador espanhol e importante figura para o povo peruano. Essa catedral possui diversas capelas, cada uma com uma decoração especial, e um altar singular, muito bem trabalhado, riquíssimo em detalhes. A visita ao lugar dá aos turistas o direito de conhecer o museu de arte religioso, que fica dentro da própria igreja. Fazendo o passeio completo você poderá conhecer partes da igreja que raramente estão abertas ao público, como a sacristia e a sala capitular. Há um acervo grande de objetos, livros e pinturas, todos relacionados a pessoas que participaram da igreja. É necessário pagar a entrada.

 

Museu Larco.

O Museu Larco é um dos mais importantes de Lima e um dos melhores da América do Sul para quem gosta de arqueologia. São milhares de peças expostas no museu e muitas outras guardadas em seu arquivo, que, diferentemente de grande parte dos museus, também expõe essa área aos seus visitantes. A visita guiada vale a pena, principalmente para entender o contexto de cada objeto do lugar. Aproveite o museu para tirar fotos em seu interior e no exterior. No jardim, cheio de flores lindas, há um ótimo restaurante, perfeito para comer ou tomar um café no fim da tarde. É necessário pagar a entrada.

Desfrute mais de sua viagem preparando-se com nossas dicas.

No momento, não existe nenhum conteúdo classificado com este termo.

DirceturProm PeruPeruPeru - Ministerio de Cultura

Viagens Machu Picchu 2016 - 2020 (Desenhado por LLIKA)